Neste sábado, 17 de fevereiro, em evento no Rio de Janeiro, o presidente Michel Temer anunciou a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública, que será desmembrado do atual Ministério da Justiça. A nova pasta já foi oficializada por meio de um texto que está na Casa Civil.

Temer ainda não deu detalhes sobre a estrutura do ministério, mas afirmou que a nova pasta não vai invadir as atribuições do Estado. Esta ainda será votada no Congresso, que pode vetar ou não sua criação. Mas, a partir do momento em que for editada tem vigência imediata. Até o presente momento, a pasta não é unanimidade entre lideranças do Congresso.

O presidente poderia criar o ministério por projeto de lei, mas o caminho para aprovação é mais longo. Em geral, desde o governo FHC as reorganizações de ministérios são feitas por meio de medida provisória (MP).

Até então, o nome preferido do governo é o do ministro da Defesa, Raul Jungmann, no entanto existem duas dificuldades: Jungmann, que é deputado federal, ainda não sabe ser disputará a eleição deste ano e o governo tem dificuldades em substituí-lo na pasta da Defesa. O mais provável é que seja um nome técnico.